Glossário

Apresentamos uma lista de definições de termos técnicos e conceitos utilizados em nossa página.

 

Actinista: grupo de peixes ósseos sarcopterígeos que inclui o Celacanto.

Actinopterygii: peixes ósseos de nadadeira raiadas. Corresponde ao mais diverso grupo de vertebrados e engloba a maior parte dos "peixes".

Bacias Sedimentares: área geográfica que exibe uma depressão em decorrência da subsidência do terreno, formando uma grande bacia que recebe os sedimentos provenientes das áreas altas que a circundam. Estes sedimentos vão se acumulando e, sendo soterrados, são submetidos a um aumento de pressão e temperatura, iniciando o processo de litificação, formando uma sucessão de estratos de rochas sedimentares.

Carapaça: porção dorsal do casco das tartarugas.

Chondrichtyes: peixes cartilaginosos, isto é, tubarões, rais e quimeras.

Curador: profissional responsável por cuidar de coleções e exposições; trata-se de um neologismo da palavra inglesa curator.

Dipnoi: peixes óesseos sarcopterígeos pulmonados. A pirambóia corresponde a um membro deste grupo.

Etimologia: parte da gramática que trata da história e origem das palavras através da análise dos elementos que as constituem.

Fenestra: abertura, buraco.

Fenestra nasoanterorbital: abertura típica do crânio dos pterossauros que origina-se da fusão entre as fenestras nasal e anterorbital.

Filogenia: é um dendograma que representa as relações de parentesco entre diversos organismos. Clique aqui e conheça um projeto para construção da filogenia da vida.

Grupos-irmãos: correspondem a dois táxons que partilham um ancestral imediato explusivo, isto é, derivam de um mesmo ancestral direto. Alguns exemplos nas árvores indicadas em nosso catálogo são Synapsida + Sauropsida, Ornithischia + Saurischia e Sauropodomorpha + Theropoda.

Grupo Merofilético: consiste em um agrupamento artificial onde os organismos não descendem de um ancestral exclusivo a todos eles. "Reptilia" e "Peixes" correspondem a grupos merofiléticos e, portanto, não fazem sentido na sistemática biológica moderna.

Grupo Monofilético: também chamado de Grupo Holofilético ou natural. Consiste em um conjunto de organismos que descendem de um ancestral exclusivo a todos eles. Os biólogos conseguem determinar este tipo de grupo ao analisar, em uma filogenia, o conjunto de características apomórficas pertencentes à esses organismos e derivadas deste ancestral exclusivo.

Holótipo: o único espécime designado ou fixado como o portador tipológico do nome de uma espécie quando um táxon nominal é estabelecido por meio de publicação científica. Fonte: ICZN.

Litificação: é um conjunto complexo de processos que convertem sedimentos em rocha consolidada.

Localidade-tipo: a localidade geográfica onde foi(ram) capturado(s) o(s) exemplar(es) da série-tipo.

Nome científico (de espécies): correspondem a um binômio formado por um epíteto genérico e outro específico. Existe um conjunto de regras para a construção e grafia de um nome de espécie biológica e estas regras são determinadas pelas comissões de nomenclatura zoológica e botânica. O epíteto genérico deve ser escrito com a primeira letra em maiúsculo; ambos os epítetos devem ser grafados de forma a se destacarem do texto, geralmente em itálico. Para acessar todas as regras, clique aqui.

Nome científico (de famílias): corresponde a um radical ligado ao sufixo -idae. Deve-se indicar o radical com base no primeiro gênero criado para a família. Alguns exemplos: Podocnemididae, Plateosauridae, Felidae, etc.

Paleoambiente: reconstrução hipotética sobre o ambiente passado de uma determinada região.

Paleoartista: profissional que busca retratar espécies fósseis através de obras artísticas e seguindo critérios científicos rígidos.

Paleovertebrados: termo informal usado para atribuir qualquer vertebrado fóssil.

Parátipo: cada exemplar da série-tipo que não o holótipo. Fonte: ICZN.

Pigóstilo: é um conjunto formado pelas últimas vértebras caudais fusionadas em uma única ossificação, onde são inseridas a musculatura e as penas da cauda das aves. Não é uma característica exclusiva das Aves, sendo conhecidos dinossauros (da família Confuciusornithidae) com pigóstilo.

Plastrão: porção ventral do casco das tartarugas.

"Prossauropode": grupo merofilético que, antigamente, era utilizado para agrupar todos os dinossauros Sauropodomorpha basais que não pertencem ao grupo Sauropoda.

Pterosauria: grupo monofilético de "répteis" voadores cuja asa é formada por membrana alar (parecida com a dos morcegos) e um quarto dedo alongado. São erroneamente reconhecidos como dinossauros.

Relações filogenéticas: ver "Filogenia".

Sauropodomorpha: grupo monofilético de dinossauros herbívoros, em sua maioria, de grande porte e quadrúpedes. Alguns exemplos são: Plateosaurus, Brachiosauros, Diplodocus, Apatosaurus, Titanosaurus, etc.

Sauropsida: grupo que inclui a maior parte dos amniotas, como a maioria dos "répteis" e as aves. Destacam-se vários grupos representados somente por formas extintas neste grupo: Mesosauridae, Parareptilia, Sauropterygia, Rhynchosauria, Pterosauria, Ornithischia e Sauropodomorpha.

Série-tipo: a série de espécimes na qual o autor original de um táxon nominal se baseou para fazer a descrição da espécie. Fonte: ICZN.

Sistemática: em biologia, consiste na criação de um sistema hierárquico lógico para classificar os grupos de organismos. A sistemática moderna necessariamente se baseia em uma filogenia, utilizando agrupamentos monofiléticos para embasar a classificação sistemática.

Synapsida: grupo de amniotas com uma fenestra temporal cercada em sua porção superior pelos ossos pós-orbital e esquamosal. Os mamíferos correspondem aos únicos representantes viventes deste grupo.

Taxonomia: consiste em dar nomes à táxons, isto é, unidades biológicas (espécies, gêneros, famílias, ordens, classes, filos, reinos). Para que a taxonomia de um determinado grupo reflita a evolução do mesmo, ela deve proceder uma sistemática baseada na filogenia do grupo.

Testudines: tartarugas.

Theropoda: grupo monofilético de dinossauros carnívoros, em sua maioria bípedes, que inclui as Aves atuais. Alguns exemplos são: Tyrannosaurus, Velociraptor, Deinonychus, Alosaurus, Spinosaurus, Oviraptor, etc.

Topótipo: qualquer exemplar oriundo da localidade-tipo de uma espécie que não faz parte da série-tipo. Fonte: ICZN.

Conteúdo por: Pedro S. R. Romano